Icon 325c9dd9 e0d3 40b2 aa2c 132451b6a190

Educação Financeira 9 - Simulação Website - Impressite

Quero participar
Criado em
03/11/2016

Volume 9 – Educação Financeira nas Escolas – Ensino Fundamental é uma série de 9 volumes produzida pela Associação Brasileira de educação Financeira – AEF e é faz parte da ENEF – Estratégia Nacional de Educação Financeira e possui licença Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Conteúdo:

O Livro do Aluno de Educação Financeira do 9º ano utiliza o formato de um website, por isso é chamado de “impressite”. Ele foi organizado de forma modular, ou seja, não linear, que permite flexibilidade de navegação pelas seções que o compõem. Nessas seções são consolidados temas já trabalhados nos anos anteriores do Ensino Fundamental, como: consumo, poupança, orçamento, planejamento, espaço público e privado, tributos, juros compostos.
A primeira página do Livro é a Home, onde é feita a apresentação das seções e dos temas:

Reportagens: esta seção apresenta matérias escritas por alunos fictícios para um jornal on-line da escola. Os textos trabalham hábitos inadequados de consumo, armadilhas mentais e apresenta o conceito de empreendedorismo social. O uso de declarações de pessoas sobre os problemas que enfrentaram e das observações de repórteres contextualiza os conceitos para os alunos.

Entrevistas: aqui são simuladas entrevistas com professores e especialistas sobre diferentes assuntos de educação financeira: pessoas gastadoras versus poupadoras; as vantagens e desvantagens do uso do cartão de débito e do cartão de crédito; e órgãos de proteção e defesa do consumidor como o Procon. As entrevistas trazem uma linguagem informal, e permitem uma abordagem mais rápida e objetiva de dúvidas comuns dos alunos.

Crônica: seção intitulada “Vivendo e aprendendo” traz a história de duas personagens que conseguiram progredir na vida poupando de forma planejada. Tendo como personagem principal um jovem que almeja se tornar DJ, a crônica busca demonstrar que, para ser mais eficaz, o esforço de poupança deve obedecer a um planejamento. A intenção de fazer uma poupança a partir do “dinheiro que sobrar no final do mês” dificilmente é alcançada, pois não gera disciplina, permitindo que sempre surja algum gasto a se fazer. Para manter o tom coloquial jovem da personagem protagonista, a crônica apresenta algumas gírias e regionalismos que você poderá esclarecer no Glossário de Gírias e Regionalismos no Anexo 1, na página 49.

Colunas: nesta seção colunistas discorrem sobre diferentes conceitos financeiros.
• Dicas do Daniel: esta coluna aborda o hábito de várias pessoas de comprar a prazo numa tentativa de poupar, pois elas acreditam que se não fizerem isso acabarão gastando o dinheiro em outra coisa e não conseguirão comprar o bem de alto preço que desejam.
O colunista mostra que essa estratégia normalmente sai mais caro do que poupar primeiro para depois comprar à vista.
• Fala Fabiana: a colunista conversa sobre juros compostos, mostrando a lógica por trás deles e como podem beneficiar as pessoas por meio das aplicações em investimentos que pagam juros,e também como podem prejudicar se a pessoa contrair dívidas corrigidas por juros compostos.
• Luiza Leite: nesta coluna fala-se sobre o baixo nível de poupança dos brasileiros e como investimentos podem multiplicar o valor da poupança realizada beneficiando os poupadores. A relação risco X retorno dos investimentos é abordada. Esta é uma questão importante para os alunos refletirem, pois envolve planos de longo prazo, como a aposentadoria. Aqui há uma questão para o aluno refletir sobre como reagiria diante de uma possibilidade de investimento. Trata-se de uma situação fictícia para trabalhar esse ponto em termos teóricos e conceituais.
• Canto do Celso: o ponto aqui é a importância do planejamento para que os objetivos sejam alcançados. Mostra-se que planejar é muito mais do que se tentar prever o futuro, é determinar quais são os objetivos que se deseja alcançar de forma ponderada e depois determinar os passos necessários para conseguir isso. O aluno é chamado a fazer seus planos para o futuro e a pesquisar sobre os meios para alcançar seus objetivos.
• Madame Mágica: numa alusão bem-humorada às videntes de jornal, discorre-se aqui sobre a importância de estimativas adequadas para um bom planejamento. Os erros mais comuns são apontados, bem como sugestões para evitá-los. Todos nós fazemos estimativas constantemente em nossas vidas diárias, falta um pouco mais de cuidado e técnica ao fazê-las.
• Vitória Valente: a coluna mostra como um orçamento pode ajudar a pessoa a controlar suas contas a pagar, ter uma noção melhor de suas receitas e, assim, gerenciar sua vida financeira de forma mais adequada. Um orçamento simples é apresentado, bem como uma organização básica de despesas em categorias como habitação, transporte, saúde, higiene, lazer etc.

Conto: nesta seção é apresentada uma websérie em três episódios, que conta a história da personagem Marisa, tendo como temas planejamento e orçamento. A narrativa mostra a importância de se fazer um planejamento para transformar sonhos em metas e objetivos que podem ser alcançados. As personagens controlam suas contas a partir de um orçamento para ter disciplina, cumprir o planejado e alcançar seus objetivos, ou não o fazem e passam por dificuldades financeiras.
Seguindo a lógica de websérie, há momentos dramáticos, chamadas para o episódio seguinte etc. Ao longo da websérie há boxes com conceitosde educação financeira pertinentes ao momento da história.

Fórum: a seção apresenta a postagem de mensagens e seus comentários sobre o tema sustentabilidade. É abordada a questão do desperdício de recursos e há sugestões para reduzir ou eliminar o problema.
Os impactos de ações individuais sobre o meio ambiente são enfatizados, e nesse sentido são apresentados os 5 “R”s (repensar, recusar, reduzir, reutilizar, reciclar) para reflexão pelos alunos. O tópico “bolso sustentável” traz uma relação mais direta com a educação financeira, tratando da importância do planejamento e da análise de despesas. Debate-se então sobre o preço para compras a prazo e à vista, além do tema dos investimentos de longo prazo e a aposentadoria.
Os cuidados para preservação do patrimônio também são abordados. Por fim, são trabalhados os espaços públicos, orçamentos públicos e tributos, sua importância para o bem-estar social e a consequente necessidade de prestar atenção a esses assuntos.

Experimente: esta seção traz atividades que os alunos deverão realizar em grupo e que proporcionam uma interface entre o que aprenderam em sala e sua realidade cotidiana. Essas atividades, além de desenvolver as competências de autonomia, iniciativa, cooperação e pesquisa, almejam consolidar os conhecimentos financeiros. As tarefas foram agrupadas em: hábitos de consumo; hábitos de poupança; orçamento e planejamento; espaço público e privado; aplicado à educação financeira em sua vida pessoal e familiar. Algumas das atividades abordam o letramento financeiro: processo por meio do qual os indivíduos se apropriam dos textos que circulam na esfera da vida financeira – instituições e situações nas quais esses textos se materializam.

Busca Avançada: esta seção traz um glossário com termos pertinentes aos conceitos de educação financeira.

Disponível livro do Professor e do Aluno. Acesse aba documentos

Público-alvo: Crianças- a partir do quinto ano. Adultos: EJA – Ensino de Jovens e Adultos

Vídeos:

Modelo Pedagógico Livro 9 – Educação Financeira nas Escolas – Ensino Fundamental https://vimeo.com/182737001

Livro 9 – Educação Financeira nas Escolas – Ensino Fundamental https://vimeo.com/182736967

Você precisa estar logado para comentar e interagir!
Login ou Cadastre-se